ShareThis

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Scamufumaflébous, mais do que um monte de sílabas.

Boa Noite, o Splatter Repórter volta hoje com um caso no mínimo bizarro.

O peculiar mundo do Splatter tem sua própria fauna, que em sua maioria é composta por diferentes variações de hominídeos, a exemplo do Homo Grotescus (Homem Ogro) e variações do Homo Sapiens Sapiens, à exemplo de Homo Sapiens Meretrix (De propósito).
Porém, alguns dos mais fascinantes espécimes desta incrível fauna não é de descendentes dos macacos, alguns são seres lendários e outros terrivelmente reais. O Kiwi-Fênix base da religião Splatter é uma dessas criaturas (mais a seu respeito em outra postagem neste blog).
Neste artigo exploraremos uma criatura de hábitos peculiares e existência duvidosa, pois a maioria, se não todos, que já o “viram” são conhecidos como arruaceiros, baderneiros e pessoas que por não ter o que fazer inventam fábulas a fim de desmoralizar, intimidar e envergonhar a si mesmos ou a outros; esta criatura lendária se chama Scamufumaflébous.
Esta criatura já foi observada em inúmeras localidades e o único critério para suas aparições que os nossos cientistas Dr. Wiki e Dr.Google encontraram é que ele só aparece em áreas em que existem altas concentrações de álcool. Esta criatura arisca aparece geralmente tarde da noite,  possivelmente atraída pelo cheiro de álcool sempre presente em qualquer pessoa fora de sua casa neste horário, e ninguém ainda sabe o porquê.
Scamufumaflébous nunca atacou ninguém diretamente. Nem mesmo o álcool que o atrai foi seu alvo aparente; sua única vítima foi a “fala”. O peculiar Scamufumaflébous expele certas enzimas pelos seus poros que supostamente atacam a parte do cérebro responsável pela fala. Esta parece ser sua única característica, ninguém que o viu consegue se lembrar de sua aparência no dia seguinte -possivelmente um efeito a mais das enzimas (provavelmente chaparam o melão e não se lembram nem do nome direito). Seu nome veio das inúmeras tentativas de avisar os próximos de sua presença, mas devido as enzimas (ou quantidades cavalares de Piraquê em uma boca amortecida por álcool) o máximo que as pessoas conseguem falar é um amontoado de silabas desconexas (também conhecidas como papo de bêbado). A maioria das pessoas em sua presença apresentou perda de dicção, alguns casos mais graves (como no caso do ET de santa caralha que disse “Tiradentes é o único santo brasileiro que não sabe voar”, o que pode ser tirado como ignorância cultural, afinal todos sabem que Tiradentes sabe sim voar, mas não possui visão de calor como, por exemplo, frei Galvão) conseguiam completar frases sem problemas mais o sentido era totalmente perdido. A sua lenda continua, será ele fruto da imaginação de incontáveis seguidores de Boris ou será ele de verdade, veja os relatos a seguir e tire você suas conclusões.
"Foi muito esquisito, foi o domínio do animal sobre o homem! " (Ventania, Designer)
"Foi traumatizante, foi como ser atingido por uma avalanche de paradas."
(Mario Barros,Músico,Pimp)
"Us cara são um sinistros!"
(Ventania outra vez, horas depois, visivelmente podre)
"Estou assustado, acho que não tenho escolha a não ser pegar minha galera e vazar."(uh......,eu,claramente tentando impedir os amigos de ficarem bêbados,acabando com o álcool eu mesmo)
(Nossas fontes confiáveis se preparando para caçar a criatura)

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

  ©Movimento Cultural Splatter - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo