ShareThis

domingo, 27 de setembro de 2009

Splatter: 5 Anos escrotizando quem ta de boa

Hoje, dia 27 de setembro de 2009, é aniversário da instituição que está entre as mais conceituadas da atualidade: O Splatter.

São 5 anos de dedicação à zoada e ao caos. Vamos, então, a um breve histórico dessa galerez que sabe curtir que é foda.

O início

No início era o caos. Bom, na verdade desde o início é o caos. Estamos no ano de 2004 no então Centro federal de educação Tecnológica do Espírito Santo. Cerca de 1300 alunos de de esnsino médio comoandavam a escola. Os donos do pedaço eram o PCC - Primeiro Comando do Cefetes, reinados por Baioco e Amaral. Seu lema era zoar.

Nesse ano alguns jovens, principalmente da turma M7 daquele ano, costumavam se encontrar nos pavilhões e corredores da escola e pereberam que tinham uma característica em comum: a zoada forte.

Não existiam tabus para o humor: brancos e negros, ricos e pobres, mulheres e homens, deficientes e não-deficientes, funkeiros e seres humanos eram tratados da mesma forma pelo humor ácido e destruidor desses baluartes.

Em um momento perceberam que não eram mais um bando de amigos, mas sim uma família. e como toda família precisavam de um nome. A princípio foi escolhido o nome de Rob Guirosh Guidoy.

A iluminação

Eis que um dia, mais precisamente no dia 27 de setembro de 2004, ao caminhar pelos pátios verdejantes do Cefetes, membros do então Rob Guirosh avistaram uma figura luminosa no céu. Era uma criatura mística. Voava mas não possuia asas. Possuia um bico lustroso e pelos marrons. Seu corpo esferóide estava coberto de chamas douradas que não quimavam, mas traziam a paz.

Era o Kiwi Fênix.

A criatura se aproximou e todos ficaram paralisados. De repente um clarão cegou todos que viam a Fênix e um som mágico de harpas e death metal foi ouvido. Quando tudo voltou ao normal uma palvra foi pronunciada debilmente por um dos membros que ali estava: SPLATTER.

A partir de então, nasce o Splatter.

A Ascenção

O Splatter durante seus dois primeiros anos foi só alegria. Diversão era garantida pelo mundo afora e, principalmente, no Cefetes. Esportes como Escrotobol e Bat-Destroyer fizeram a cabeça da molecada. O cardgame Gonti-ji-oH! virou febre. A zoada era boa, a comida era farta. Cada vez mais pessoas se juntavam ao movimento Splatter.

Parecia que aquele momento lindo duraria para sempre. Parecia.

Muitos membros do Splatter começaram a se sentir incomodados com aquele voluptuoso sucesso. Muitas pesoas se diziam Splatter e isso não agradava gregos e trianos. De um lado havia aqueles que eram a favor da expansão e colonização. Outros achavam melhor manter a trueness e manter o espírito daquele gurpo inicial que poderia ser corrompido por outrem.

O sucesso era cada vez maior, o segundo aniversário do Splatter foi memorável e contou com quase um milhão de pessoas. Esse momento foi a gota d'água para muitos.

A Queda

O final de 2007 e o ano de 2008 foram devastadores para o Splatter. Muitos membros saíram do Cefetes, o que divicultava cada vez mais a interação e a arquitetura de planos de dominação mundial. Rixas, intrigas, inveja, ploc monsters e fuzarca estavam em voga no momento. Muitos discutiam sobre o futuro do Splatter, que ele devia acabar, outros diziam que nunca iria morrer. Alguns outros diziam que nunca deveria ter nascido. As coisas não andavam muito bem.

Perdas irreparáveis

O ano de 2008 foi certamente o mais terrível para a história do Splatter. Dois grandes amigos se foram desse mundo e deixaram saudades: Luciano e Cuspe. Certamente de todas as pessoas que conhecíamos, essas eram a que menos mereciam isso. A corvadia, tirou a vida de um, o acaso a vida de outro.

De certa forma essas duas perdas serviram para reunir as pessoas que estavam meio separadas e reatar os laços de amizade. Foi um ano muito duro e só a amizade verdadeira pôde trazer um pouco de conforto :D

Splatter never dies!

Tudo bem que cada um foi para seu canto e as diferenças continuam, mas, do seu jeito, o Splatter continua sua empreitada para a escotização geral. Eventos de sucesso como o Ano-Novo Splatter, Tiradentes e Pau do Rock servem para reunir os velhos amigos e lembrar que, não importa o que aconteça, desde 2004 somos e sempre seremos uma família.

Que venham os próximos 5 anos!

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

  ©Movimento Cultural Splatter - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo