ShareThis

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Welcome to The Jungle: Churrasco de Turma

O homem sempre possuiu um enorme apreço pelas festas e confraternizações com seus semelhantes. Desde os tempos mais remotos o homem gostava de, ao menos, se alimentar com seus iguais. Nos dias atuais existem festas de todos os tipos, para agradar a todos os paladares, olfatos e tatos.






Churrasco da antigüidade

No âmbito universitário existe uma cerimônia importantíssima de norte a sul no nosso país. Nenhuma universidade, seja cristã ortodoxa, judia, macumbeira, ou funkeira pode se dar ao luxo de dizer que não é um percussora desse tão sagrado ritual, a mais nobre das orgias, a mãe das prevaricações, a Rafaela Marquesini das festas. Sem mais delongas:

O CHURRASCO DE TURMA.
O churrasco de turma tem início de forma extremamente burocrática; afinal, existe todo um pré-requisito processual para se iniciar essa festa de Baco. É, primeiramente, passada uma lista pela patricinha mais gostosa e funkeira da turma. O objetivo deste arrolamento é, em tese, arrecadar fundos para a orgia, mas na realidade a função da listagem é informar às autoridades competentes do churrasco os tipos de indivíduos que comparecerão. Ou seja, se algum pobre, nerd, crente, deficiente ou negro pretende ir, pois assim as medidas cabíveis (sejam lá quais forem) poderão ser tomadas.
Após a contagem e a deliberação feita pelos mestres acadêmicos da devassidão, é chegado o momento da discussão acerca do local da suruba. Geralmente fica decidido que será na casa de um ”“playson”” qualquer. Agora sim!! O palco está armado!!! A Festa vai começar!!

Quem já compareceu a um churrasco de turma sabe que este é marcado por figuras carimbadas. Dentre elas estão as patricinhas gostosas descoladas. Elas dão cor e vida à diversão. Sem elas não haveria muito que comentar na mesa dos fracassados, perdedores ou simplesmente feios.
Não menos importantes são os caras que bebem e dão vexame. É sempre divertido ver o dono da casa puto com um cara que vomita no playground do condomínio.
Existem na verdade três tipos de bêbado num churrasco de turma:

· O que realmente bebeu e está quase morrendo
· O que realmente bebeu e tenta “animar” o pessoal além de tentar comer todas as meninas (falhando miseravelmente pelo fato de não achar a própria piroca)
· O que não bebeu nada, mas finge-se de bêbado para bancar o zuador e tentar se enturmar. Lembrem-se dele no final.
Um dos caras do primeiro tópico é o cara que prepara a carne (quando tem carne). Ele se sacrifica pelo bem da galera, porém depois de algumas latinhas de cerveja a carne misteriosamente começa a aparecer pingando sangue.

carne assada após a segunda metade do churrasco

O churrasco de turma é lindo. É sério. Ele é demais!! É um verdadeiro estudo antropológico. No primeiro churrasco, por exemplo, você descobre quem é gay, quem é safada, quem transa, quem não transa e quem trai a namorada ou apenas trai suas “convicções” religiosas.
Além desses seres já mencionados, existe também o cara que gasta com o violão. Este sujeito sempre leva o violão para os churrascos e acha que as pessoas gostam disso. Ele nunca se dá conta de que um micareteiro bonitão que só sabe tocar “Tempo Perdido” e qualquer coisa do Jack Johnson é quem realmente vai se dar bem com a mulherada e a galera. O cara que levou o violão serve apenas para perturbar a todos quando ninguém agüenta mais escutar “I Gotta Feeling”.
Aliás, a trilha sonora do churrasco é a cereja do churrasco. Sempre tem, além de “I Gotta Feeling”, Jack Johnson (já mencionado), pagodinho para os três tipos de bêbados já citados, Seu Jorge e funks diversos. O churrasco de turma é o único ritual em que o funk não é o pior ritmo tocado, pois uma das horas mais divertidas é a hora que uma das patricinhas já está tri louca dançando o creu.
Todo esse funk me levou à pessoa sem a qual o churrasco não teria a menor graça. O ser humano mais altruísta da sala, aquela que os romanos chamaram de Vênus, que os gregos chamaram de Afrodite e que os egípcios chamaram de Hátor. Ela mesma: A PIRIGUETE.

Piriguetes do Orkut. A loira está morta??

O que seria de um churrasco de turma sem a piriguete? Qual turma não tem uma piriguete? Quem não reconhece uma quando a vê? Ela é simplesmente o motivo pelo qual todos saem felizes do churrasco, pois no fim das contas todos (eu disse todos) comem a piriguete. Quem nunca comeu a piriguete que atire primeira pedra. Vou explicar melhor.
Primeiramente vamos trabalhar considerando apenas dois sexos aqui, ok? As meninas da sala, ao fim da festa, estão quase mortas ou estão pegando os caras legais, garbosos e “””descolados”””. Para todos o outros sobrou a piriguete. Esta pega metade dos caras da sala: FATO! No entanto, cumpre assinalar que todos os marmanjos estavam bêbados, ou seja, nenhum estava em reais condições de comê-la (ela raramente bebe). O que acontece, na verdade, é que quem não a come de verdade, acha que comeu porque arroizou ou ficou com ela de forma bem lasciva.
ficando de forma lasciva

Freud explica: Quem não comeu a piriguete no plano concreto ou real, comeu no plano ideológico ou paradigmático.
Para falar a verdade, apenas um sujeito come a “ninfa da bisteca” no fim das contas. Lembra do cara que se finge de bêbado? POIS É!! Dele a piriguete nunca esquiva. Ele está sempre ligadão e pronto pra dar uma bimbada sem que ninguém perceba. Mas quem liga? Ninguém se lembra. Na segunda feira tudo volta ao normal. Todos voltam a assistir a suas monótonas aulas e a vida retorna ao que era antes.
Minha dica é: compareça ao churrasco de sala. Mesmo que você seja nerd e não tenha absolutamente nada a ver com as pessoas da sua turma. Além de ver todo o tipo de gente interessante (ou não) você pode aprender sempre mais sobre o comportamento dos seus iguais (ou não) e se for capaz de sobreviver à cervejinha ou à Ypióca, ainda poderá, quem sabe, se dar bem com a piriguete.

4 Comentários:

Míope sem óculos disse...

é legal destacar como você fala com desenvoltura sobre a mesa dos feios e nerds.

Sr. Filangie disse...

Tu descreveu virtuosamente o que foi o churrasco da minha turma... orgulho-me de dizer, porém, que mantive a minha dignidade. =D


Interessante o maracador "satã" no texto o_o

iago disse...

Tem medo de deixar negros entra na festa por
que pode acabar com o brinquedinho de vocês!
19cm;/

Carol IV disse...

Sensacional esse ultimo comentario

Postar um comentário

  ©Movimento Cultural Splatter - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo